sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

O relógio



(adereço conceptual para usar no pulso)

Pára-me um tempo por dentro.
Passa-me um tempo por fora.

O tempo que foi constante
no meu contratempo estar
passa-me agora adiante
como se fosse parar.
Por cada relógio certo
no tempo que sou agora
há um tempo descoberto
no tempo que se demora.

Fica-me o tempo por dentro
passa-me o tempo por fora.


Ary dos Santos



Sem comentários: